Fraternidade sem Fronteiras abre vagas para trabalho voluntário em Comunicação

Manaus-Am A Organização Humanitária Fraternidade sem Fronteiras (FSF) está com nove vagas abertas para trabalho voluntário na área de Comunicação. Do total, cinco vagas são para profissionais de designer gráfico, uma para estágio em criação e três para edição de vídeos.Para quem quiser concorrer à vaga de estágio, com carga horária de cinco horas diárias, é preciso estar matriculado no curso de Publicidade e Propaganda ou Design.

Para edição de vídeos, é preciso que o voluntário tenha conhecimento nos programas de Premiere e AfterEffects. “Já no caso dos designers, é necessário conhecimento avançado em Adobe Photoshop, Illustrator e direção de arte. É recomendável o envio portifólio e o trabalho será de acordo com a demanda e disponibilidade de horário.

As vagas são para profissionais de todo o Brasil e o trabalho será feito em home office”, detalha a coordenadora de Comunicação da FSF, Tatiane Resende.O trabalho voluntariado permite uma troca construtiva entre todos os profissionais envolvidos na equipe e ainda, pode ser um diferencial para o currículo, como explica a psicóloga Adriana Dornellas. “Para quem traz no currículo atuações voluntárias sai na frente no quesito relações humanas, disponibilidade, abertura, cuidado, maior senso de equipe, responsabilidade, formação crítica. Enfim, se mostra mais participativo”.

Para Ângela Araújo, gerente de Voluntariado da FSF, são muitas mãos que constroem o trabalho de fraternidade. “É essencial a ação voluntária para que a FSF possa desenvolver suas atividades e expandir a mensagem para que mais pessoas participem e sejam acolhidas”.Os interessados para as vagas disponíveis precisam entrar em contato pelo e-mail divulgacao@fraternidadesemfronteiras.org.br e enviar um currículo ou portifólio.
Sobre a Fraternidade sem Fronteiras – A FSF é uma Organização humanitária e Não-Governamental, com sede em Campo Grande (MS) e atuação brasileira e internacional.
A instituição possui 53 polos de trabalho, mantém centros de acolhimento, oferece alimentação, saúde, formação profissionalizante, educação, cultivo sustentável, construção de casas e ainda, abraça projetos de crianças com microcefalia e doença rara. 

Todos os trabalhos são mantidos por meio de doações e principalmente pelo apadrinhamento. Com R$ 50 mensais é possível contribuir com um projeto e fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.fraternidadesemfronteiras.org.br