No Dia de Natal: Espetáculo ‘Menina Miúda em Cidade Grande’, se despede do público

Manaus-Am Após nove apresentações, o espetáculo “Menina Miúda em Cidade Grande” se despede do público nesta sexta-feira, 25, Dia de Natal, às 18h, na Praça Dom Pedro II, localizado na rua Bernardo Ramos, no Centro de Manaus. A peça teatral foi encenada em vários espaços públicos da capital. 

De acordo com o diretor do espetáculo, Cairo Vasconcelos, a programação será inteiramente dedicada à família. “Nesse dia quase não acontecem programações culturais na cidade e foi pensando no lazer das crianças e adultos que nós escolhemos o dia 25”, pontuou. “Nós estamos muito empolgados, queremos fazer uma apresentação significativa e bem dinâmica para que o público fique com aquele gostinho de quero mais”. 

Durante os nove dias de circulação, mais de mil pessoas assistiram o espetáculo, o qual retrata temas como a conquista, a persistência pelo amor até o empoderamento feminino contracenado pela personagem Constância. 

“Cada apresentação que nós fizemos, foi uma sensação diferente. Nós temos escutado histórias de moradores que nos falaram o quanto foi importante a apresentação, porque não se tinha intervenções artísticas no bairro deles. Então, está sendo um trabalho muito legal porque nós estamos ressignificando os espaços públicos de Manaus”, contou o diretor.

A circulação passou pelos bairros Tarumã, São Raimundo e Compensa, zona Oeste; bairro São José Operário, zona Leste; bairros Santa Luzia, Educandos e Petrópolis, zona Sul e finalizará no Centro de Manaus. 

Vale destacar que para evitar a propagação e contágio da Covid-19, a equipe da Menina Miúda Produções Artísticas manteve todos os protocolos de segurança sanitária durante as apresentações. 

O espetáculo foi contemplado na categoria Teatro do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei nº14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc.

SINOPSE 

A peça “Menina Miúda em Cidade Grande” conta a história de Zé que tenta a todo custo conquistar a apaixonante e exigente Constância. Mesmo amando e adorando os gracejos de Zé, Constância não se entrega facilmente para o amado, estimulando o paquerador a buscar meios de provar seu amor por ela.

Para tentar conquistar o coração de sua amada, o insistente Zé utiliza de suas aptidões e muita lábia, sem poupar de uma boa imaginação, grandes promessas, presentes para lá de inusitados e até uma poesia bastante curiosa feita exclusivamente para Constância.